segunda-feira, 20 de maio de 2013

Juca

eu que fui jovem
achei que poderia querer tudo

achei que o Sol não me faria enrugar
achei que o tempo era infinito
que o amor era bonito
e a saudade era um lugar

achei que empregos não eram importantes
e encontrei dez reais jogados na rua, que me fizeram feliz

molhei meus sapatos e os meus pés na lama
e pensei que um cumprimento legal era dizer a toda gente:
"aperte o seu nariz"

eu quem fui, jovem
comia açúcar mascavo e também açúcar torrão de monte

já quis vender camiseta na praça
e também brinco de hippie na fonte

hoje quero ser dançarina
e amanhã já não importa mais

engarrafava pinga e datilografava
que dormi assistindo ao concerto orquestrado dos poemas de Vinícius de Moraes

e amanhã quem sabe o Laos
ou um país desses, que a minha cabeça pequena julgue ser estranho

e fui jovem
quando fui a muitos lugares
e me esbaldava numa dessas gargalhadas sem tamanho
quando eu neles ria

que fui Platônica
e que me iludi várias vezes
dando o coração aos cantores do Youtube
e editores da Wikipédia

achei que o amor era eterno
que a vida era uma comédia,
e acabei por espatifar a cara no chão.

Que delicioso tombo!










segunda-feira, 6 de maio de 2013

o pôr do sol na mesa


O menino que leva o Sol de bicicleta


E essa noite eu tive um sonho, como em todas as outras
estava numa ferrovia conhecida, em algum ugar bonito e muito misterioso
havia um sentimento estranho, que sempre me acomete naquele lugar
de que havia um assassino por perto, algum louco, perigoso.

eu gosto dos loucos, mas não daquele sentimento de ter que fugir deles.

em algum momento mirei o longe, e vi montanhas cheias de neve no topo.
era uma cena bonita, como se fosse um enquadramento de fotografia.
de repente as montanhas se transformaram em tênis All Star gigantes, do mesmo tamanho das montanhas.

Eram discos voadores!


domingo, 5 de maio de 2013

Rooms

I have to rent a room
where I can leave it all
I need to leave them
these feelings I can't feel now

These feelings that came to me without asking
what should I do with it?
Did they come for a visit?

I need a room
where I can keep them
because I cannot have them now

I will rescue them from the room
one day,
And I would like the one day to be now
I know it won't, because the "one days" are cruel

And they will invade the entire house
how glad I would be to leave them free to do so
but I have to keep them locked
I would have to put a warning in their room telling myself to keep the distance

But they will have to invade the house
they said and they will
at least they would have to do so, if they wanted to leave the house one day


I want that room
so they can be nearby


And if the devil came tonight
and if he took it all for a finger?
Would you give him a finger for that?