domingo, 3 de dezembro de 2017

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Solidão em São Paulo

Eu sinto uma solidão tremenda aqui em São Paulo
saio do trampo
todo dia ando chorando pelas calçadas
sem me importar com quem me olha mas não me vê lágrimas

Sinto essa solidão em São Paulo
mas ela não é minha
ela é da rua
pousa em canteiros de obra, prédios depredados
e em caixas de papelão
ali mesmo faz seu canto e dorme

é uma solidão fria
é uma solidão dura
é uma solidão que absorvo

distante o céu das estrelas
escuro o nó do buraco da minha garganta
quem ri?
quem canta?

Sinto essa solidão
sinto muito por essa cidade
sinto tanto por mim

sábado, 11 de novembro de 2017

Trocas

Trocar um mundão de água por um mar de gente
um mar de lama
céu límpido azul da Bahia
por um céu doente
a alma reclama
o corpo sente