domingo, 25 de outubro de 2015

caolhos

não existe um eu que tenha dois olhos
o olho que falta são aqueles que estão em todo o resto
a completude das coisas reside na necessidade de completar o nosso olhar com o olhar do outro.


é o olho dos outros o que nos falta.


* não vejo problemas nas ambiguidades
não vejo problemas nos dualismos
nem mesmo na separação
se há algum problema está na aparente oposição que criamos entre duas coisas
existe uma enorme beleza em perceber a junção entre as coisas, o ponto de convergência
onde tudo se torna um.

nossa mente é condicionada a enxergar a separação entre as coisas ?
talvez sim. talvez aqui.
acho que nos cabe aprender com isso, que onde existe separação existe união
e deixar o foco na separação pra nos focar no seu abraço.



Nenhum comentário:

Postar um comentário